Browsing Tag

Dedique-se de Coração: a história de como a Starbucks se tornou uma grande empresa de xícara em xícara

APRENDIZADOS

Minhas leituras de 2019

31 de dezembro de 2019

Não sei você, mas já tentei ter uma meta de livros para ler durante o ano. Não consegui. Me senti meio pressionada e quando via, já tinha abandonado o barco. Desde então, leio no meu tempo, sempre pressão 🙂 porque é mais gostoso assim! 

2019 acabou geente, e durante esse ano foram 6 livros lidos e alguns ainda em processo (porque sou dessas que começo vários ao mesmo tempo), mas que só serão realmente concluídos ano que vem.

Aqui vai minha humilde lista! 

Aprendizados – Gisele Bundchen

Foi com esse livro gostosinho que escolhi terminar 2018 e começar 2019. Um livro de experiências e lições de alguém que aprendi a admirar. Vi uma mulher super trabalhadora, que escolheu aprender muito com todas as oportunidades que lhe foram dadas durante toda a sua carreira e que luta pelos seus valores.

A linguagem é fácil e pode ser mesmo uma boa pedida para o começo de um novo ciclo. Fiz um post aqui no blog mesmo, só sobre ele. Para ler é só clicar aqui

Ganhar, Gastar, Investir – Denise Damiani

Esse foi para abrir os meus olhos. Foi também um grande incentivador para que eu pudesse fazer algo que queria a bastante tempo… Minha verdadeira meta de 2019, que é começar a investir. 

A Denise Damiani pega na nossa mão e nos conduz por um caminho de valorização pessoal, que tem tudo a ver com a forma como tratamos a nossa vida, nossa história e principalmente o nosso dinheiro. 

Inclusive, fiz um post sobre ele aqui no blog também, ressaltando as partes que mais gostei e compartilhando alguns trechos que falam sobre o que nos impede de ganhar mais. Dá uma olhadinha aqui.

A Sociedade do Cansaço – Byung-Chul Han

Essa leitura foi eleita a mais difícil do ano (por mim). O menor dos livros, o mais profundo e técnico também. A Sociedade do Cansaço foi uma indicação de algum texto da internet ou podcast que ouvir, não me lembro exatamente, mas lembro de ficar fascinada pelo assunto. Não deu outra, a crítica que o Byung faz sobre esse excesso de positividade em que vivemos hoje veio em momento bem oportuno pra mim. Ele explora bastante as consequências disso como o burnout,  a autoexploração (camuflada de “realização”), ele fala ainda sobre a nossa incapacidade de dizer não… Essa relação estranha que desenvolvemos com o nosso trabalho que consome os nossos dias, o nosso precioso tempo. 

A gente fica meio pirado e reflexivo depois de ler tudo isso? Muito, mas acho importante e necessário. 

Continue Reading